01/07/2011

Chronicle 5 - Oath of Blood

Capítulo 1: Juramento de Sangue - Clãs e cabalas

Após os deuses darem aos humanos o livre-arbítrio, os aventureiros não tinham escolha a não ser lutar contra criaturas do mal sem a proteção dos deuses. Eles viveram através dos tempos em grupos, enquanto outros declararam guerra uns contra os outros.

Aventureiros vinculados por conhecimento, amizade, ou sangue formaram um grupo cerimonial que veio a ser conhecido como clã. Alguns destes bandos atacavam salas de clã ou castelos até formando alianças com os outros, a fim de ganhar mais poder no território. Outros clãs permaneceram focados em defender os cidadãos contra o mal, e sua atividade principal era formar incursões para caçar monstros gigantes que estavam dominando os territórios.

Conforme o tempo passava as duas cabalas, os revolucionários de Dusk e os Senhores de Dawn, recrutavam esses clãs em dois grupos principais. Estas duas cabalas detiam valores contraditórios de resistência e regra e conseguiam agrupar todos os revolucionários e todos os oficiais em um só lugar. Muitos clãs se juntaram a essas cabalas, o que provocou duras batalhas e lutas políticas entre os clãs.

O poder das cabalas permanecia ativo e forte enquanto eles dominassem as Seal Stones, as Necrópoles e as Catacumbas, e o poder dos selos. Mais como aventureiros se cansaram de antagonizar e lutar uns contra os outros, eles começaram a descrer nas promessas vazias de utopia através da revolução ou regra.

A forte solidariedade das cabalas começou a entrar em colapso.

O Juramento de Sangue (desconhecido)

Capítulo 2: Juramento de Sangue - Heróis Levantem-se

Como a solidariedade das cabalas se fragmentava mais e mais, o poder dos clãs cresciam mais fortes. Os líderes dos clãs se juntaram ou afastaram-se das cabalas em busca de seus próprios interesses, ou tirar vantagem das cabalas.

Heróis e Nobres subitamente apareceram neste momento e despertaram o interesse dos clãs. Eles eram líderes poderosos e excelentes que entendiam os aventureiros melhor do que ninguém, já que foram há muito tempo aventureiros.

A maioria tinha posições importantes nas cabalas, devido às suas excelentes habilidades e capacidades. Alguns tentaram mudar ou dedicaram-se a lutar pela ideologia das cabalas. Outros queriam deixar as cabalas para encontrar seu próprio caminho, que variava desde derrotar monstros poderosos até salvar pessoas inocentes da tirania de um senhor. Hérois ganharam destaque dentro dos clãs, e eram proeminentes entre alianças.

Os líderes dos clãs perceberam a importância do hérois e ouviam seus conselhos de perto. Os hérios precisavam do poder do clã, a fim de atingir seus objetivos. Neste momento, alguns líderes sensíveis e hérios se reuniram e discutiram novas idéias. Várias queixas e alternativas vieram à luz sobre as relações hierárquicas entre as alianças e o sentimento que os clãs mais fortes monopolizavam os novos aventureiros.

A fim de tornar as coisas melhores, os senhores experientes de clã e os hérois, que estavam em postos de comando no topo das cabalas se reuniram para criar um novo tipo de clã.

O Juramento de Sangue (desconhecido)

Capítulo 3: Juramento de Sangue - Honra e Dedicação

Este novo tipo de clã foi implementado como um teste no território de Oren onde a milícia era muito forte. Depois de seu sucesso, logo se tornou conhecido em todo território.

O novo tipo de clã se concentrava no fortalecimento, capacitando os existentes para promover o seu poder como uma grande força militar do território. Os territórios apoiavam os clãs existentes através da organização e aumento de poder para o castelo e gestão do clan hall. Governantes sentiram que este plano poderia salvar enormes custos para a gestão militar e defesa de cada castelo e que ganhariam uma força militar poderosa, incluindo novos clãs, que colocavam honra e dedicação, como sua prioridade máxima. Naturalmente, este plano ganhou forte apoio dos clãs e senhores de castelo em cada território, e foi implementado mais cedo nos territórios onde os clãs eram mais ativos.

Esta política de valorização foi também desejada por membros dos clãs, que se trabalhassem duro para o clã, então poderiam alcançar a riqueza e a fama, e estariam perto dos aventureiros que admiravam. Os líderes de clãs também se beneficiaram, levando sua própria organização, sem compromisso. Todas estas coisas eram boas o suficiente para satisfazer o interesse de todos, e era ainda atraente para aqueles que nunca pensaram em se juntar aos clãs.

A criação da academia, uma facilidade educacional foi totalmente apoiada por clãs que já eram estáveis. Os clãs que queriam estabelecer academias participaram ativamente na descoberta de talentos espalhados pelo território, e logo a concorrência era feroz. Agora, o objetivo da maioria dos clãs era trazer mais pessoas dedicadas com o sonho de fazer a diferença.  Os clãs rapidamente atribuíram o treinamento para patrocinadores, com rica experiência de batalha para ensinar os membros em suas vidas para aumentar a reputação do clã.

O Juramento de Sangue (desconhecido)

Capítulo 4: Juramento de Sangue - Era dos Clãs

Os clãs continuaram a atrair novos membros, pois eles podiam transferir sua classe a um nível superior, contribui com benefícios e honra para os clãs quando ganham elogios em uma siege ou batalha em larga escala com poderosas criaturas do mal. Isto significava que o mérito pessoal era diretamente relacionado com os benefícios e honra de seu clã.

Alguns intelectuais previram que os clãs que antes eram apenas um pequeno grupo de pessoas com interesses comuns se transformariam em uma grande organização que priorizava a ordem e a honra da organização. Eles fizeram a afirmação de que esta nova estrutura clã era um corpo orgânico que ligava os indivíduos a viverem juntos.

É agora a era dos clãs, com novos clãs se formando e os existentes ganhando poder e prestígio. Membros dedicaram seu poder e suas vidas para o clã, dispostos a morrer por ele e seus membros. Este é o Juramento de Sangue.

O Juramento de Sangue (desconhecido)

Leia também: Interlude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário